terça-feira, 26 de maio de 2015

Queda Capilar Feminina | Até Quantos Fios É Normal Cair Nas Mulheres?

Olá pessoas vaidosas. Pode causar espanto, mas os dermatologistas garantem que a calvície feminina é um problema comum. A queda de cabelos tem as causas mais diversas e, entre as mais comuns, estão as mudanças hormonais, a genética e distúrbios como a anemia e o hipotireoidismo.

Queda de Cabelos Em Mulheres

Segundo o dermatologista Marcio Rutowitsch, chefe do setor de dermatologia no Hospital dos Servidores do Estado, cerca de 30% das mulheres com 50 anos têm algum grau de calvície. É preciso ficar atento aos sinais, já que a queda de cabelo no sexo feminino costuma ser diferente da no masculino, sendo raras as mulheres que ficam completamente carecas. O que acontece é um afinamento progressivo dos fios, geralmente a partir dos 30 anos.

Perda de até 100 fios por dia é normal
O dermatologista Celso Tavares Sodré, professor da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), alerta que as mulheres devem ficar atentas a alguns sinais especiais, já que, todo dia, as pessoas perdem cerca de 100 fios. Essa perda só preocupa se os fios começam a se acumular no ralo da pia ou do chuveiro, na escova, nas roupas ou no travesseiro.

Quando todo o cabelo fica mais ralo, caem tufos ou há um afinamento onde os fios são repartidos, é hora de procurar um médico. Os tratamentos respondem melhor quando a calvície está em fase inicial e vai variar de acordo com o tipo de queda. Para um diagnóstico completo, os médicos costumam recomendar exames clínicos e laboratoriais, como o tricograma (análise dos fios). Em alguns casos, é necessário fazer a biópsia do couro cabeludo.

Um dos tipos mais comuns de queda de cabelo é o eflúvio telógeno, caracterizado pela diminuição dos fios em toda a cabeça. A queda pode ser aguda ou crônica e geralmente é causada por febres altas, dengue, anemias (causadas por menstruações intensas ou deficiências nutricionais), dietas radicais, medicamentos e no pós-parto.

- Doenças endocrinológicas, como as da tireóide, e estresses importantes também podem fazer o cabelo cair. Em geral, o distúrbio se resolve espontaneamente ou em até seis meses quando a causa é corrigida - afirma Sodré.

Queda de Cabelos Em Mulheres

Alopécia androgênica atinge 1 em cada 5 mulheres
Outra causa comum é a alopecia androgênica - a calvície hereditária - que chega a atingir uma em cada cinco mulheres, de acordo com a Academia Americana de Dermatologia, nos Estados Unidos. Rutowitsch explica que, nesses casos, os fios da linha da testa são preservados e a mulher não ganha entradas, mas o cabelo da parte de trás e no alto da cabeça vai ficando mais ralo.
A predisposição genética é que vai determinar o grau de queda, mas o excesso de hormônios masculinos, muitas vezes elevados por problemas no ovário ou nas glândulas suprarrenal e hipófise, pode contribuir para o seu agravamento.

Tanto Rutowitsch como Celso Sodré alertam que, raramente, penteados, escovas, chapinhas e tinturas fazem o cabelo cair.

- Em geral, esses procedimentos provocam a quebra do cabelo, mas quase nunca vão provocar a queda. Mas a tração continuada de alguns processos, como os alisamentos e os penteados afros, podem provocar a perda definitiva dos fios - alerta Sodré.

Queda de Cabelos Em Mulheres

Tratamento com boa taxa de sucesso
Muitos tratamentos usados para combater a calvície masculina não podem ser feitos por mulheres, já que eles agem diretamente nos hormônios. Dependendo do caso, Celso Sodré recomenda medicamentos por via oral ou tópica que antagonizem a ação dos hormônios masculinos.
- Os resultados são variáveis. Em geral, conseguimos a diminuição, a estabilização ou mesmo a reversão parcial do processo. Na calvície, os resultados demoram no mínimo seis meses para serem observados e o tratamento é para sempre.

Fonte: Portal da SBD

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Transplante de Cabelos | A Salvação de Casos Extremos | Tudo Sobre a Técnica

Olá pessoas vaidosas. Alopecia androgenética é uma doença hereditária na qual há forte influência dos hormônios sexuais masculinos. Teoricamente, o tratamento ideal seria a correção do defeito genético. Entretanto, como isto não é ainda possível, os tratamentos são focados no componente hormonal.

Algumas vezes, todavia, o quadro já se instalou de tal forma que não é mais viável o tratamento clínico. Para estes casos, o transplante de cabelos pode ser uma opção.

Transplante de Cabelos

Como é realizado o transplante de cabelos
A cirurgia consiste em remover fios da parte posterior do couro cabeludo (região occipital), que não sofrem a ação hormonal, transplantando-os para as áreas calvas. O processo é usualmente realizado sob anestesia local com ou sem sedação, em centro cirúrgico.

O tratamento envolve uma grande equipe altamente especializada. O cirurgião e seu auxiliar removem a pele com os cabelos da região occipital e os entregam a um terceiro auxiliar que, com o auxílio de lupas e outros instrumentos, separa os folículos pilosos em grupos com um, dois ou três cabelos. Posteriormente, estes são enxertados nas áreas calvas de modo a manter a naturalidade destes. Folículos com 3 fios são colocados mais para trás, onde é necessário um maior volume, e com 1 e 2 fios mais na frente, para um melhor resultado estético, evitando o aspecto de "cabelo de boneca".

Atualmente, a posição dos fios é uma preocupação do cirurgião, que os posiciona da maneira mais natural possível. Caso isto não seja observado, os cabelos podem ficar constantemente despenteados. A taxa de sucesso da cirurgia tem progressivamente crescido. Mesmo assim, é comum muitos dos enxertos não se adaptarem ao local transplantado. Complicações sérias são extremamente raras quando o transplante é realizado com equipes especializadas.

Transplante de Cabelos

Quem tem melhor resultado?
O paciente ideal para fazer um transplante de cabelos é aquele que ainda tem uma área pequena de calvície, que tem cabelos escuros e grossos (oferecem maior volume e melhor resultado estético) e com uma boa área doadora pois, geralmente, são necessárias mais de uma sessão de tratamento.

As grandes limitações da técnica são: a necessidade de múltiplas sessões em muitos casos, a dificuldade de oferecer volume às áreas transplantadas e o alto custo do procedimento. Planos de saúde não cobrem este tipo de tratamento e, por ele ser demorado e envolver uma equipe numerosa, altamente especializada em termos técnicos e de instrumental, seu custo costuma ser proibitivo para a maioria das pessoas.

Transplante de Cabelos

Antes de decidir
Este tratamento é uma alternativa radical que visa à satisfação estética das pessoas que sofrem com a alopecia androgenética avançada. Certamente, o ideal é iniciar o tratamento antes da calvície se instalar ou pode ser melhor assumi-la.

Antes de realizar um transplante, procure indicações com quem já se submeteu ao tratamento e peça para ver fotos com os resultados de antes e depois. A calvície é uma característica natural e um transplante mal indicado ou mal feito, pode ser estéticamente mais incômodo que a própria "careca".

Vale ressaltar que, mesmo tendo se submetido ao transplante, o paciente deve fazer o tratamento clínico, para evitar que outros fios evoluam para a calvície, deixando apenas os fios transplantados no local, o que resultará em um aspecto esteticamente inadequado.

Antes de se decidir, não deixe de ler sobre os demais artigos:

Fonte: Dermatologia.Net

sábado, 23 de maio de 2015

Calvície Feminina | Causas e Tratamentos Para Mulheres

Olá pessoas vadosas. A calvície, que já incomoda bastante os homens, quando acomete as mulheres pode ser causa de grande ansiedade e sofrimento emocional. Os cabelos tem grande importância na estética da mulher e são muito valorizados como característica feminina. A perda deles traz enorme significado em relação à auto-estima sendo motivo frequente de busca de tratamento.

Calvície Feminina

A alopécia androgênica (calvície) é uma manifestação fisiológica que atinge principalmente os homens, mas que também pode afetar as mulheres. Ocorre devido à uma herança genética e o histórico de calvície pode vir tanto do lado da mãe como do pai.

O processo acontece devido a ação da enzima 5-alfa-redutase sobre o hormônio testosterona (a mulher também apresenta este tipo de hormônio, porém em menor quantidade que o homem) resultando no subproduto DHT (dihidrotestosterona). Este último age sobre os folículos pilosos, provocando o seu afinamento e miniaturização.

Outras causas, como anemia ou alterações tireoideanas, podem provocar a queda dos cabelos nas mulheres, porém a manifestação ocorre de forma diferente, também provocando rarefação dos cabelos mas sem o afinamento característico da alopécia androgênica.

Calvície Feminina

Mulher fica careca?
A perda dos cabelos geralmente se inicia após a puberdade, quando os hormônios sexuais começam a ser produzidos. A evolução é lenta e o mais comum é ocorrer uma rarefação difusa dos cabelos, que se tornam finos e tem seu tamanho diminuído. Dificilmente a mulher chega a ficar careca, mas isso pode acontecer em casos de maior intensidade e em mulheres de idade mais avançada.

O quadro pode se tornar mais intenso se a mulher apresentar alterações hormonais, como a síndrome do ovário policístico ou o hirsutismo. Em algumas mulheres, a alopécia androgênica só começa a se manifestar após a menopausa, quando ocorre uma diminuição da produção dos hormônios femininos.

Calvície Feminina

Tratamento
A calvície feminina pode ser tratada e o principal resultado da melhora é o resgate da auto-estima. O tratamento visa evitar a ação hormonal sobre os folículos, revertendo o processo de afinamento e miniaturização e é feito com o uso de anti-andrógenos (combatem a ação dos androgênios: hormônios masculinos). Podem ser utilizados por via oral ou sob a forma de loções aplicadas no couro cabeludo.

A finasterida, medicamento utilizado com sucesso no tratamento dos homens, não é indicada para o tratamento de mulheres em idade fértil devido a possíveis problemas em caso de gravidez, mas outros produtos podem obter resultados semelhantes. Além disso é feito o estímulo ao crescimento dos cabelos, com suplementação vitamínica e substâncias de uso local.

O tratamento é contínuo e os resultados podem demorar um pouco a aparecer, devendo-se ter paciência e perseverança. Muitas vezes é necessária a troca do medicamento até que se obtenha o melhor resultado. Se o tratamento for interrompido, o processo se reinicia e a queda voltará a acontecer.

Pode ser necessária uma avaliação hormonal e a realização de exames que excluam outras causas da queda dos cabelos, como o eflúvio telógeno e a alopécia areata. A indicação do melhor tratamento depende de cada caso e deve ser determinada pelo médico dermatologista.

Por Dr. Roberto Barbosa Lima - Dermatologista. Via Dermatologia.Net

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Se Você Acha Que Calvície Não Tem Cura...

Olá pessoas vaidosas. A palavra alopécia não precisa ser vista com total pavor! As entradas na cabeça começaram a aparecer ou a queda do cabelo está acima da média? Não precisa se desesperar, procure informação e comece a agir o quanto antes.

Calvície

Finasterida: a calvície pode ser evitada na maioria dos casos
Aqueles que estão ficando calvos devido à alopécia androgênica (calvície de causa genética) têm uma chance de evitar a calvície com o uso da finasterida, medicamento que atua bloqueando o processo que leva à perda dos cabelos.

Segundo os estudos realizados pelo laboratório que pesquisou o seu uso para o tratamento da alopécia, a finasterida interrompe a evolução da calvície em 86% dos homens tratados.

O medicamento era originalmente utilizado para o tratamento do aumento da próstata. A observação de seus efeitos sobre a calvície de pacientes que utilizavam o produto para esta finalidade, chamou a atenção do laboratório que, reduzindo a concentração da finasterida, manteve os resultados sobre os cabelos e praticamente eliminou a incidência de efeitos colaterais.

Calvície

Como funciona
A finasterida atua bloqueando a ação da enzima 5-alfa-redutase, que transforma a testosterona (hormônio masculino) em diidrotestosterona (DHT). O DHT é o hormônio que atua sobre os cabelos promovendo a sua miniaturização, cujo resultado final é a calvície.

Com o bloqueio da enzima, interrompe-se a formação do DHT e os cabelos que ainda não atrofiaram podem voltar a crescer, recuperando áreas que estavam rarefeitas.

O efeito de repilação ocorreu em 48% dos homens que usaram a finasterida por 1 ano e em 66% dos que usaram por dois anos (dados fornecidos pelo laboratório responsável pelos estudos).

Calvície

Tratamento deve ser contínuo
Para manutenção do resultado, o tratamento deve ser contínuo pois, com a sua interrupção, o DHT volta ser formado e o processo de miniaturização dos cabelos volta a acontecer.

O tratamento deve ser prescrito e acompanhado pelo médico dermatologista que irá avaliar a necessidade de solicitar exames antes de iniciá-lo ou de associar outros medicamentos para a obtenção de melhores resultados.
Por  Dr. Roberto Barbosa Lima - Dermatologista. Via Dermatologia.Net

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Resultado do Sorteio Linha Capilar Completa Kert Phytogen Termal Act

Olá pessoas vaidosas. Obrigado a todos que participaram do Sorteio Linha Capilar Completa Kert Phytogen Termal Act. A sortuda da vez foi a Néia Wardah. Parabéns! E não fiquem triste pois logo teremos mais sorteios legais por aqui no Blog!

Resultado do Sorteio Linha Capilar Completa Kert Phytogen Termal Act

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...